HORA CERTA

sábado, 21 de julho de 2007

Brasileiro - Povo sem Memória

Quando leio um texto como este, fico imaginando como pode um povo não ter memória, e ver que é este o grande motivo da situação atuação do nosso País.
Dedico este humilde site aos Pracinhas brasileiros que lutaram bravamente e se sacrificaram pelo sonho de um mundo melhor e mais humano.


Brasileiros não reconhecem participação dos pracinhas na Segunda Guerra

A falta de oportunidades para relatar suas experiências e falar sobre a guerra aumentou a amargura dos pracinhas, que sofrem com o esquecimento da sociedade sobre sua história

O Brasil não soube reconhecer o sofrimento suportado pelos pracinhas durante a Segunda Guerra Mundial, tampouco o empenho por eles empreendido nas batalhas. O país também não deu voz para que os veteranos pudessem contar suas experiências. A avaliação é do historiador Cesar Campiani Maximiano, que passou seis anos realizando entrevistas e coletando material sobre a experiência de guerra dos soldados brasileiros que sobreviveram aos combates na Europa, entre 1944 e 1945.

Munidos de fuzis e do idealismo típico da juventude, cerca de 25 mil brasileiros embarcaram para as frentes de combate italianas e arriscaram suas vidas para derrubar os regimes nazi-facistas europeus. "Eles acreditavam que, lutando contra Hitler e Mussolini, dariam sua contribuição para a construção de um mundo melhor", explica Cesar, que defendeu tese de doutorado na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFLCH) da USP.

Segundo o historiador, o reconhecimento reclamado pelos veteranos não são superproduções cinematográficas sobre a guerra nem grandes paradas militares - típicas dos norte-americanos. Cesar diz que os pracinhas gostariam apenas que a Força Expedicionária Brasileira (FEB) - nome que se deu à divisão de infantaria do exército brasileiro enviada à Itália sob comando de Washington - fosse mais lembrada pela população e também melhor estudada nas escolas.

"Os pracinhas acreditavam que, lutando contra Hitler e Mussolini, dariam sua contribuição para a construção de um mundo melhor"

O esquecimento, continua Cesar, ocorre principalmente porque os ex-combatentes da FEB não tiveram a oportunidade de relatar suas experiências de guerra. "Os veteranos não tiveram voz, provavelmente porque eram pessoas simples, em sua maioria trabalhadores e operários sem muito estudo, cuja opinião não costuma ser ouvida pela sociedade brasileira", explica Cesar.

Lado humano da guerra
Um dos principais motivos que levaram Cesar a estudar o tema foi a pouca informação que se tem sobre a experiência e a vivência dos soldados brasileiros nas frentes italianas. Para ele, a história produzida sobre a participação do Brasil na guerra peca por ser desequilibrada - ou possui um caráter laudatório ou depreciativo.

Escutar o que os veteranos têm a dizer, segundo Cesar, foi um dos pontos mais complicados da pesquisa devido à dificuldade de comunicação que se impõe sobre pessoas que passaram por experiências completamente distintas. "É extremamente difícil para uma pessoa que sempre viveu em situações de paz entender o que um soldado sente durante a guerra."

Além disso, os veteranos costumam ser pessoas fechadas, que carregam consigo grande carga de recordações traumáticas. Dentre elas, o historiador enumera transtornos psicológicos chamados "neuroses de guerra" - que levaram muitos a cometerem suicídio após retornarem da Europa. A proximidade e a convivência com a morte também é uma das recordações mais lembradas pelos pracinhas.

"Eles matavam e viam gente morrendo o tempo todo. Muitas vezes também tinham de se alimentar e dormir ao lado de cadáveres. Essa situação brutalizava os soldados, tornando ainda mais complexa sua readaptação à sociedade", explica Cesar.

FONTE: Site da USP

30 comentários:

tamy disse...

olá, gostaria de saber se vc tem mais ou menos os nomes dos soldados do riop grande do sul que participaram da segunda guerra mundial, ou dos que fizeram o treinamento, pois meu avô foi soldado somente não passou no ultimo exame, gostariamos de saber um pouco mais sobre isso

seu nome era : João Bortolini

obrigada e se kkiser responder
meu email é ket-elo@hotmail.com

Quilviak disse...

Oi,
gostaria de saber se você tem os nomes de soldados brasileiros em geral,pois eu tinha um bisavô que lutou na 2°guerra e,nunca mais voltou,chamavam ele de Ferreirinha...
inté!

Quilviak disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lєtícια Mαrα disse...

oi! também gostaria de saber se vc sabe, pelo menos, onde encontrar os nomes dos soldados brasileiros que foram pra segunda guerra... meu avô participou e não acho nenhnum registro dele.

Lourdes disse...

oi ... meu pai foi EXPEDICIONÁRIO ... PERDEU O BRAÇO ESQUERDO NUM ESTILHAÇO DE GRANADA... sei lá ...vivenciou a fome, a miséria do povo italiano - penso que a verdadeira guerra foi ir para U S A e ter que retornar ao
C A O S brasileiro

Lourdes disse...

oi ... meu pai foi EXPEDICIONÁRIO ... PERDEU O BRAÇO ESQUERDO NUM ESTILHAÇO DE GRANADA... sei lá ...vivenciou a fome, a miséria do povo italiano - penso que a verdadeira guerra foi ir para U S A e ter que retornar ao
C A O S brasileiro

Leonice disse...

olha acho uma vergonha não colocar os nomes dos brasileros que lutaram na segunda guerra pois esses sim são herois de verdade e por isso vejo que muintos que lutarm estão esquecidos que pena eu conheço um pracinha ela fez 90 anos e é meu amigo a mais de 20 anos e tenho orgulho de ser amigo dele ele é meu vizinho o nome dele é pedro leme de assis

Leonice disse...

tamy eu procurei em todos os lugares masdeve ter no saite do exercito ate soldado não desista por que um soldado quando esta morrendo ele tem ainda 20% de vida

APARECIDO disse...

Ola galera, gostaria de dizer que concordo com a tese de que o esquecimento esta causando um grande desenterece na vida de muitas pessoas, mas o pior de tudo é que são os politicos que não se preocupam!
Meu avô paterno quase participou da guerra, ele estava a caminho quando a mesma terminou!
Existe uma cidade que foi fundada em homenagem aos pracinhas, e que deveria ser hoje tão conhecida quanto Brasilia, mas infelismente os politicos não se importam com isso! O nome da tal é: SANTA CRUZ DO MONTE CASTELO - PARANÁ.
Eu fui criado nesnta cidade, que tem em alguns pontos nomes de soldados, como, "AVENIDA PAULO LIBANIO" e " COLEGIO ESTADUAL SOLDADO CONSTANTINO MAROSH".
Lembrando que em Curitiba-pr, acredito eu que ainda é feita uma comemoração em homenagem aos pracinhas todos os anos!

kety disse...

Olá, meu qrido avó q falacer semana passada foi um dos pracinhas ele me contou suas historias e o q aconteceu com eles, é mto emocionante e tbm tem fotos de ele lutando ele faleceu dia 15/07/10, com 91 anos, seu nome é Antonio Messias Rodrigues!!
e tbm concordo com vcs q quase ninguém fala dos ex pracinhas, nós devemos ter mto orgulho deles

Serafim disse...

Olá, Tenho um amigo de 88 anos que foi para o Mato grosso em 1945 já no final da 2 guerra mundial. Ele só treinou por 2 anos como soldado mais não foi necessario ir até a Italia. Porém ele sabe tanta coisa que nem a Globo sabe. Depois que terminuo a guerra ele se encontrou aqui no Brasil com um soldado alemão de nome Hernesto que falou falou os bastidores da guerra pra ele e ele me contou tudo. Agora vou fazer uma homenagem a esse soldado que não chegou ir até a Italia mais faz parte dos veterenos separados para a 2 guera mundial. Ele até me falou de 2 navio alemães que se perderam e vieram parar aqui no Brasil, porém o comandante alemão depois de ter se despido de todos seus comandados, desceu até o depósito de armas e explodiu o naviu morrendo naquele momento. Já seu amigo alemão foi pra santos Sp e devido não falar quase nada do Português, passou muito fome e necessidades, depois abriu uma pequena empresa de meias.
ele me deu uma foto dele de 1945 uniformizados e também me deu uma revista de 1954. A parte mais importante em tudo isso é que eu falei com ele que não podia aceitar algo que ele guardou por quase 60 pra depois me da. Ele me disse que os filhos dele nem sabia o que era isso e não davam importancia e que assim que ele morresse já que tem 88 certamente rasgariam e que pelo o foto de eu ter ficado umas 4 horas ouvindo ele contar as historias merecia ficar comigo, pelo menos eu guardaria a memoria dele por muitos anos. Termino esse texto chorando.

Serafim disse...

Olá, Tenho um amigo de 88 anos que foi para o Mato grosso em 1945 já no final da 2 guerra mundial. Ele só treinou por 2 anos como soldado mais não foi necessario ir até a Italia. Porém ele sabe tanta coisa que nem a Globo sabe. Depois que terminuo a guerra ele se encontrou aqui no Brasil com um soldado alemão de nome Hernesto que falou falou os bastidores da guerra pra ele e ele me contou tudo. Agora vou fazer uma homenagem a esse soldado que não chegou ir até a Italia mais faz parte dos veterenos separados para a 2 guera mundial. Ele até me falou de 2 navio alemães que se perderam e vieram parar aqui no Brasil, porém o comandante alemão depois de ter se despido de todos seus comandados, desceu até o depósito de armas e explodiu o naviu morrendo naquele momento. Já seu amigo alemão foi pra santos Sp e devido não falar quase nada do Português, passou muito fome e necessidades, depois abriu uma pequena empresa de meias.
ele me deu uma foto dele de 1945 uniformizados e também me deu uma revista de 1954. A parte mais importante em tudo isso é que eu falei com ele que não podia aceitar algo que ele guardou por quase 60 pra depois me da. Ele me disse que os filhos dele nem sabia o que era isso e não davam importancia e que assim que ele morresse já que tem 88 certamente rasgariam e que pelo o foto de eu ter ficado umas 4 horas ouvindo ele contar as historias merecia ficar comigo, pelo menos eu guardaria a memoria dele por muitos anos. Termino esse texto chorando.

violeta azul disse...

Sou viúva de um expedicionário da segunda grande guerra mundial,temos 5 filhos e 4 netos que muito se orgulham desse HERÓI.Muitas histórias nos foi contada por ele.Era muito comunicativo e todos que o conheceram o amavam!Ele era o motorista do general Cordeiro de Farias.Em nosso tempo de convivência jamais alguém nos procurou para algo sobre ele.Quando amputou as pernas a prefeitura de Viamão,no Rio Grande Do Sul,aonde morávamos foi quem deu as muletas para ele usar,na pessoa do prefeito hoje também falecido,senhor Tapir Rocha.Ainda temos algumas fotos dele na Itália.Realmente nossos pracinhas,hoje quase em extinçao devido a avançada idade tiveram e tem pouco raconhecimento a seus bravos atos.Seguer recebeu meu marido a etapa de campanha prometida.

violeta azul disse...

Esqueci de escrever que casamos em1968,eu com 18 anos e ele com 52.Nossos filhos hoje tem 41,40,39,35e 32 anos.Nossos netos:13anos,8,3 e 4 meses.Deixo nesse site nossa admiração por todos que estiveram ou que de algum modo participaram desse grandioso feito!

violeta azul disse...

Esqueci de escrever que casamos em1968,eu com 18 anos e ele com 52.Nossos filhos hoje tem 41,40,39,35e 32 anos.Nossos netos:13anos,8,3 e 4 meses.Deixo nesse site nossa admiração por todos que estiveram ou que de algum modo participaram desse grandioso feito!

re.nato_rato disse...

eu qria q vc botace os nomes das pessoas que foram para a 2 guerra mundial pq o meu avo foi 1 dos guerrilheiros cujo o nome e igual ao meu q e renato

bel disse...

Olá, estou procurando registros de nomes e fotos de pracinhas brasileiros que combateram na segunda guerra mundial, meu pai foi pracinha pelo 8º Batalhão de Artilharia Montada de Pouso Alegre, é aposentado com 2º Tenente, mas eu e minha família gostariamos de obter mais materias sobre ele.
O seu nome é Heuler Meerson.
Obrigada, aguardo ancisoa resposta.

gilberto disse...

Herois que lutaram na segunda guerra mundial pelo 11º Regimento de Infantaria de São João Del Rei.

Neste endereço esta a relação completa de todos os combatentes
http://www.anvfeb.com.br/11ri.htm

Joaquim Dias disse...

Minha contribuição sobre os pracinhas brasileiros que foram para a guerra, na região sul do RGS, municípios de Pelotas e Capão do Leão:
http://capaodoleaohistoriaecultura.blogspot.com/2011/06/grupo-de-pracinhas-brasileiros-em-1944.html
Parabéns pelo blog!

janizeelaine2011 disse...

Olá meu nome é Janiz, sou neta de JOÃO CARLOS DE MELO, ele tambem foi um herói na guerra da Itália a familia tem alguns acervos da época, se alguem quiser compartilhar, estamos a disposição, obs. ele foi pelo exercito de SANTA MARIA NO RS.
CONTATO janiz86@hotmail.com
Ab.

AMANDA disse...

eu também concordo
que os participantes da segunda guerra deveriam ter mais valor
meu avô participou se chamava joaquim aniceto mas infelizmente teve um grande trauma pós guerra, é ruim perceber a desvalorização deses que deram sua vida.

obrigada
Amanda larissa

ed disse...

gostaria de saber se tem o nome do meu avô,
SEU NOME É:José Morais Sobrinho

ed disse...

Oi,
gostaria de saber se você tem os nomes de soldados brasileiros em geral,pois eu tenho um avô que lutou na 2°guerra
Seu nome é: José Morais Sobrinho

JM disse...

Ola, eu gostaria da relaçao dos pracinha cerarences, eles lutaram em Montesi, Monte Castelo, meu Bi-vo, foi uma destes herois,contudo ñ o conhece, gostaria de receber infomacoes sobre ele. Seu nome e Raimundo Luiz Moura.

JM disse...

Ola, eu gostaria da relaçao dos pracinha cerarences, eles lutaram em Montesi, Monte Castelo, meu Bi-vo, foi uma destes herois,contudo ñ o conhece, gostaria de receber infomacoes sobre ele. Seu nome e Raimundo Luiz Moura.

JM disse...

Ola, eu gostaria da relaçao dos pracinha cerarences, eles lutaram em Montesi, Monte Castelo, meu Bi-vo, foi uma destes herois,contudo ñ o conhece, gostaria de receber infomacoes sobre ele. Seu nome e Raimundo Luiz Moura.

miki disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
miki disse...

ola eu gostaria de saber se vc tem a lista com o nome dos pracinhas do rio grande do sul que foram para guerra
o avo de uma amiga foi um deles ela gostaria de sabe mais sobre ele se tiver a relação pode manda para o meu email
mikail.santos@yahoo.com.br
desde ja agradeço

laine disse...

Ola godtaria muito de saber se vcs tem o nome dos soldados que lutarão na guerra não sei qual guerra foi mas gostaria muito de ter mais informações o nome de meu avo éra LUCIDIO ISRAÉL ANTUNES.Desde ja agradeço pela atenção.

quadros maicom disse...

TINHA O ENDALECIO O CASTRENSE PERDEU A PERNA NA GUERRA

Troca de Banner

HiperBanner